fbpx
Empatia e liderança: Qual a importância da empatia para sua liderança?

Empatia e liderança: Qual a importância da empatia para sua liderança?

Já se foi o tempo em que os trabalhadores eram peças de uma engrenagem maior para o funcionamento da empresa – o capital humano é uma das ferramentas mais valiosas em uma corporação. Por isso, valorizar a liderança e a empatia é essencial. 

Se você quer aprender mais sobre esses dois aspectos e entender como eles se relacionam, continue lendo o texto de hoje e entenda como a empatia é uma das características essenciais para ser um bom líder! 

O que é empatia?

A empatia é aquele sentimento que permite que você consiga se colocar no lugar do outro e sentir o que ele sente, imaginando o que aconteceria se estivesse na mesma situação. Ou seja, é a capacidade de entender emocionalmente outra pessoa. Além disso, isso torna mais fácil tomar decisões coerentes e adequadas. 

Quando somos empáticos, usamos nossas habilidades para o benefício de todos, tornando o ambiente mais harmonioso, produtivo e saudável. Isso inclui o ambiente de trabalho!  A figura do líder autoritário tem sido substituída pelo líder empático, pois esta característica permite que ele possa alcançar melhores resultados com seus colaboradores, já que consegue respeitar a todos, sem julgamentos e preconceitos. Além disso, líderes que exercem a empatia no seu cotidiano retém os talentos de suas equipes e conseguem baixar os índices de rotatividade dentro das organizações.

A empatia e a performance no ambiente de trabalho

Todo bom líder deve ter algum nível de empatia, pois ela ajuda numa boa comunicação com os colaboradores e melhora o desempenho de todos. Não existe uma ideia que seja melhor do que a outra, mas quando o líder tem a capacidade de se colocar no lugar dos outros, é possível analisar as possibilidades e tomar decisões mais acertadas, pelo bem-estar de todos. Isso porque levar cada indivíduo em consideração e entender o que os motiva, quais são seus valores e desejos faz com que todos trabalhem em sintonia. 

Pessoas são diversas e o ambiente de trabalho reflete diretamente isso, quando o líder respeita essas individualidades e sabe somar cada um desses talentos. Assim, todo mundo sai ganhando e a produtividade aumenta de forma considerável.

Mais do se colocar no lugar do outro, a liderança empática preza pela coerência: ele lidera pelo exemplo. Afinal, não é possível fazer ninguém acreditar em seus valores se o seu discurso está dissociado das suas ações. Seja você um exemplo de produtividade, de ética e de comunicação assertiva para seus colaboradores, inspirando-os diariamente. Não há jeito melhor de manter uma equipe engajada. 

Sim, pode ser desafiador, mas renderá bons frutos. Com empatia, é possível lidar melhor diante de situações de conflito, por exemplo. Por isso, líderes empáticos são cada vez mais procurados e valorizados, não apenas pelas organizações mas pelos colaboradores também, pois trazem muitos benefícios para o ambiente de trabalho e a performance da equipe.

O líder empático facilita o desenvolvimento da inteligência emocional do ambiente de trabalho, consolida relações profissionais e, como dito anteriormente, retém os talentos, pois oferece perspectivas e inspiração para os que estão ao seu redor. Outro benefício é o aumento da criatividade no ambiente corporativo.

Muitas vezes, o cotidiano pode acabar abafando a criatividade dos colaboradores e tornando as tarefas mais mecânicas. Porém, um líder empático também estimula sua equipe a colocar as ideias e sentimentos na prática. Essa atitude pode trazer ótimas surpresas!

Em resumo, incorporar atitudes empáticas no processo de liderança nos faz enxergar o mundo com outros olhos, mais compreensíveis e acessíveis e, com isso, viver melhor em sociedade. Independente da posição hierárquica da sua Gestão, estimule a sua equipe a desenvolver essa qualidade no dia a dia, pois a empatia traz resultados concretos, mais rápido do que você imagina!

Virei líder e agora?

Virei líder e agora?

A posição de liderança é geralmente cobiçada – muitos anseiam pela posição de líder e se dedicam até obtê-la. Porém, quando alcançam um cargo de coordenador ou supervisor, por exemplo, não sabem como agir. Virei líder e agora? O que fazer? Qual tipo de liderança escolher? 

Ser líder não é apenas ganhar um aumento de salário e o respeito do chefe. É também ser responsável por toda uma equipe, por seus problemas e atrasos, pela motivação geral. Não basta ser um profissional excelente em termos de técnica e experiência, é preciso aprender sobre técnicas de liderança e gestão de pessoas. Se você não estiver preparado, o seu sonho pode virar um desafio e tanto. 

Por isso, separamos para você algumas dicas para saber se você está sendo um bom líder ou apenas tem um cargo de comando. Continue lendo! 

Como devo liderar minha equipe?

Muitos líderes de primeira viagem acham que precisam de todas as respostas logo de cara. Calma! A experiência é a maior professora de todas. Se você está disposto a aprender e faz as perguntas certas, já está no caminho.

O primeiro passo é a confiança. A equipe segue o líder pois compra suas ideias, orientações e estilo de liderança. E o que gera essa confiança é a coerência das suas ações. Seu discurso está alinhado ao que você faz diariamente? Se você fala, deve fazer. 

O líder confiável cumpre aquilo que promete e é o primeiro a liderar pelo exemplo. Pode até não parecer, mas sua equipe está o tempo todo de olho em você. Que horas você chega? Está atrasado? O que fez durante o expediente? Que horas saiu? Portanto, cuidado: seu time é seu espelho. Uma equipe que é liderada de maneira correta segue seu líder, pois ele está junto dos colaboradores.

Um bom líder também sabe dar feedbacks e entende a importância de sinalizar o que está errado – e valorizar o que está indo bem. Deixe claro para cada um o que é preciso melhorar, sem discursos genéricos de “seu desempenho está ruim”… É preciso que ser direto, assertivo e objetivo, utilizando exemplos como “Sua produtividade está baixa porque você está chegando atrasado. Eu preciso que você chegue no horário todos os dias, está acontecendo algo?” Se possível, ofereça ajuda e se mostre aberto ao diálogo. 

Da mesma forma que você deve ser claro ao fornecer feedbacks, a equipe precisa saber quais são os objetivos e as entregas que devem ser feitas. Muitas equipes simplesmente não sabem o que é esperado delas, tanto individualmente quanto para o time. É importante alinhar expectativas e resultados, pois assim cada um sabe o que deve entregar no fim do mês, semestre, ou até do dia. Deixe muito claro o que é esperado de cada um, pois quando as regras são claras, o ambiente de trabalho se torna mais eficiente. 

O que devo fazer? Como começar?

Antes de mais nada, é preciso estabelecer o diálogo e relação com seu time.  Você nunca vai saber o que está acontecendo com toda a equipe se não os ouvir ativamente. Manter uma rotina de reuniões regulares pode ser desafiador, mas vai te ajudar muito nessa jornada! Acima de tudo, lembre-se: seja honesto e sincero, se quer respostas honestas e sinceras, e respeito vem acima de tudo. Aqui vão algumas dicas:

  1. Converse com todos em reuniões regulares com sua equipe. Assim, você consegue entender melhor o que cada um está fazendo e o seu trabalho passa a ser conectá-los com suas tarefas e metas, além de criar uma conexão consigo e com o resto da equipe. 
  2. Fazer reuniões individuais é essencial. Alí será o espaço para entender as motivações, problemas e construir uma relação de confiança com cada um. Além disso, é uma ótima oportunidade para repassar prioridades, alinhar expectativas e tarefas. 
  3. Peça feedback. Da mesma forma que o líder oferece feedbacks, ele também precisa saber o que está funcionando ou não. De início, você pode acabar recebendo respostas mais genéricas mas, conforme a relação evoluir e a confiança for estabelecida, seus colaboradores irão se abrir mais.

Depois de ouvir atentamente, é hora de agir. Pode ser difícil no começo, mas vai dar tudo certo – quanto mais confiança você ganha, mais as pessoas confiam em você. E ao longo do tempo, ser um líder é ser capaz de se adaptar e evoluir. 

E lembre-se: seu trabalho agora é ajudar todos os membros da equipe a alcançarem seu potencial e colocá-lo em prática, atingindo resultados cada vez melhores!

Liderança liberal: entenda como é!

Liderança liberal: entenda como é!

Você já conheceu um gestor que só opina quando é chamado e gosta de deixar as decisões na mão dos colaboradores? Para entender melhor este perfil de liderança, que vem ganhando espaço atualmente, é preciso conhecer a liderança liberal

A liderança liberal está diretamente relacionada à cultura organizacional da empresa, além da personalidade e maturidade do gestor. Continue lendo e entenda tudo sobre esse tipo de líder, quais suas vantagens e desvantagens.

O que é liderança liberal? 

A cultura organizacional varia de acordo com cada empresa, e é natural que existam diferentes tipos de liderança. Já falamos por aqui sobre a liderança autoritária, em que o gestor centraliza todas as decisões para si – ele faz as regras e as cobranças. O líder democrático, por sua vez, procura debater pontos de vista antes de tomar decisões. Já a liderança liberal é definida pela ausência de influência direta do líder na evolução dos colaboradores que compõem sua equipe. 

Também conhecida como Liderança laissez-faire (que vem da expressão francesa “laissez faire, laissez aller, laissez passer”, que significa “deixe fazer, deixe ir, deixe passar”), nesse tipo de liderança o líder deixa que a equipe tome as decisões com liberdade, participando apenas quando for requisitado. Ele é mais um facilitador da equipe, estimulando quando necessário e trazendo informações relevantes. Entre suas principais características estão deixar os profissionais livres para desenvolverem seus próprios planos e metas, além da participação mínima nos processos da equipe. Este tipo de liderança não delega tarefas e nem escolhe quem são os responsáveis por cada aspecto. 

Vantagens da liderança liberal

A implementação da liderança liberal tem como objetivo desenvolver profissionais comprometidos, responsáveis e habilidosos através liberdade de realização de tarefas. Veja a seguir algumas de suas principais vantagens no ambiente de trabalho:

  • Promove o desenvolvimento da autoconfiança da equipe;
  • Melhora o relacionamento interpessoal dos colaboradores;
  • Contribui para o aumento da eficiência dos profissionais;
  • Favorece o aumento da motivação individual;
  • Permite que os profissionais sejam capazes de trabalhar por conta própria;
  • Proporciona competências para que a equipe seja capaz de trabalhar com pouca informação, caso necessário;
  • Favorece que os colaboradores desenvolvam habilidades individuais; 
  • Viabiliza autonomia para a equipe.

Desvantagens da liderança liberal

Como qualquer outro modelo de liderança, a liderança liberal possui seus prós e contras. Em alguns casos, não é a melhor opção para um gestor e nem para sua equipe. Saiba em que situações isso ocorre:

  • Quando os colaboradores não possuem conhecimento e/ou experiência;
  • Quando os profissionais não conseguem definir prazos;
  • Se a equipe não é capaz de resolver problemas por conta própria;
  • Quando os colaboradores enxergam este tipo de liderança como uma possibilidade de diminuir seu rendimento no trabalho;
  • Quando existe falta de familiaridade com os processos necessários para a realização de um projeto.

Essa participação mínima pode trazer a sensação de abandono ou desinteresse do líder com seus colaboradores. Também pode ser um problema se a equipe não estiver pronta para tanta liberdade. 

Geralmente, uma empresa que adota esse tipo de liderança já tem maturidade nas relações interpessoais e seus colaboradores já possuem experiência profissional e autonomia. Cabe a empresa estudar o perfil de seus profissionais e analisar se este é o ideal para nortear os processos e obter resultados. A comunicação eficiente é fundamental. 

Caso a liderança liberal seja implementada em uma equipe que não está preparada, podem surgir problemas sérios como: atraso ou perda de prazos, baixo rendimento, desmotivação, falta de respeito com o líder, entre outros. Por isso, é importante que o gestor esteja preparado e conheça muito bem os profissionais que compõem sua equipe. Você conhece alguma empresa que implementou a liderança liberal? Comente aqui quais foram os resultados obtidos!

Como melhorar a produtividade no trabalho?

Como melhorar a produtividade no trabalho?

“Como posso aumentar minha produtividade?”, é uma pergunta frequente, especialmente no ambiente de trabalho. A palavra-chave para se tornar um profissional produtivo é a disciplina, mas algumas mudanças simples podem fazer toda a diferença e te auxiliar a alcançar os resultados desejados.

O que é ser produtivo?

Para começar, vamos relembrar que ser produtivo não necessariamente significa estender sua jornada de trabalho por longas horas. Isto é trabalhar muito, não aumentar a produtividade. 

Na verdade, quando a carga de trabalho aumenta, a produtividade pode cair pois você se sente mais cansado e estressado, o que abre espaço para a desatenção, tomada de decisões equivocadas, entre outros. 

Ser produtivo é, basicamente, fazer mais com menos: alcançar os resultados desejados com o mínimo de recursos possível. É ter foco durante a realização das tarefas e demandas, sem se distrair. 

E, para te ajudar nessa jornada, separamos algumas dicas preciosas. Continue lendo e aprenda a melhorar sua produtividade no ambiente de trabalho:

  • Acorde cedo: adquira o hábito de acordar cerca de trinta minutos antes, pois você tem tempo para se organizar e pode fazer tudo com mais calma
  • Se planeje: um clichê que funciona – ainda mais se você realizar uma lista de tarefas um dia antes
  • Defina prioridades: o que é mais urgente? Mais difícil? Essas são as tarefas que devem estar no topo da sua lista
  • Faça uma coisa de cada vez: jamais faça várias tarefas ao mesmo tempo. O ideal é manter a atenção em uma atividade por vez, para não prejudicar a sua concentração;
  • Saiba lidar com urgências: a lista de tarefas não é estática. Isso quer dizer que, se algo for mais importante, você pode (e deve!) dar uma atenção especial para esta atividade;
  • Mantenha o foco: sua capacidade de concentração que vai determinar sua produtividade. Por isso, evite distrações e seja assertivo na resolução de demandas;
  • Evite o perfeccionismo: veja bem, não estamos falando de fazer um trabalho desleixado. É ótimo que você tenha atenção para os detalhes, mas cuidado para que isso não se prolongue além do necessário;
  • Não abrace o mundo: alguns profissionais não sabem delegar tarefas e, com isso, acabam sobrecarregadas;
  • Saiba dizer não: esta dica tem tudo a ver com a de cima. É importante saber dizer não de vez em quando;
  • Trabalhe com metas: as metas são uma ótima forma de avaliar se você está atingindo os resultados desejados. Cuidado para não subestimar suas tarefas. Crie metas alcançáveis, e que sejam a curto, médio e longo prazo;

A técnica Pomodoro:

Além de tudo que já falamos acima, existem também diversas técnicas dedicadas ao aumento da produtividade. Uma das mais comuns é a Técnica Pomodoro, inspirada nos alarmes de cozinha, que avisam quando o alimento está pronto. O nome veio porque Francesco Cirillo, o criador do método, tinha um timer desses em forma de tomate! 

Em resumo, a Técnica Pomodoro divide seu tempo em períodos de 25 minutos de trabalho contínuo e 5 minutos de pausa. A cada quatro blocos desses, ou seja, 2 horas, você faz uma pausa mais longa, de meia hora. Acompanhe o passo a passo:

  1. Crie uma lista de tarefas do dia;
  2. Ajuste o alarme para 25 minutos;
  3. Comece a primeira tarefa;
  4. Quando o timer soar, você faz uma pausa de 5 minutos. É ideal para fazer um lanche leve, esticar as pernas ou dar uma olhadinha no WhatsApp;
  5. Parta para a próxima tarefa. Se você não tiver terminado a primeira, retome de onde parou;
  6. Após 4 ciclos, descanse por meia hora.

Se surgir algo no meio, não desligue o alarme – dependendo do que for, você pode adicionar na lista de tarefas ou resolver durante sua pausa mais longa (mas fique atento para não ocupar seu descanso por completo) O importante neste método é evitar a fadiga realizando pausas curtas, segundo especialistas. 

Agora que você já tem várias dicas e até uma técnica de produtividade, é hora de colocá-las em prática! Você tem alguma outra dica? Compartilhe aqui.

Como a pontualidade no trabalho pode te ajudar?

Como a pontualidade no trabalho pode te ajudar?

As empresas, mais do que nunca, dividem seus afazeres por setores que são interligados entre si. Dentro de cada setor, existe sua própria hierarquia que rege as tarefas que devem ser cumpridas. Por isso, a pontualidade no trabalho pode te ajudar a manter os prazos e o andamento da empresa sem nenhum ruído no meio do caminho.

O horário, por mais liberal que algumas profissões possam ter, ainda é uma realidade no meio empresarial. Pela dependência do trabalho entre os próprios funcionários, o cumprimento das normas devem ser seguidas à risco.

Mas isso é o básico para quem está na correria do dia a dia, certo? Hoje falarei um pouco sobre como a pontualidade no trabalho pode te ajudar a alcançar novos patamares dentro da empresa.

Mas afinal, como a pontualidade no trabalho pode te ajudar?

Benefícios

Primeiro, falarei um pouco sobre os benefícios de cumprir com as suas obrigações. 

Como combinado por ambas as partes no começo do seu contrato, o horário deve ser cumprido na entrada e na saída, e caso alguma coisa saia desse padrão, a sua imagem será prejudicada. 

A fama de pontual lhe trará frutos a sua imagem pessoal, sendo considerado um funcionário responsável e assíduo. Para a sua carreira, é muito importante ficar atento aos pequenos detalhes que constroem uma relação de confiança. Networking é tão precioso quanto a produtividade!

Além de render boa fama, ser pontual quer dizer que você respeita aos colegas de profissão, a organização e até a si próprio.

Dependendo da empresa você pode até ser reconhecido por ser pontual com prêmios, bonificações e benefícios. Caso não exista essa política onde você trabalha, os pontos acima deve ser mais do que suficiente para você se tornar esse profissional, certo?

Malefícios

Os malefícios da falta de pontualidade são maiores do que os números para a empresa, mas estão no campo pessoal também, tal como os benefícios citados no ponto anterior. O que vem primeiramente a cabeça com a falta de pontualidade é a produtividade! Além da do prazo para a entrega dos materiais, o rendimento é afetado e consequentemente os resultados.

Outro fator importante é a sua credibilidade perante aos seus superiores. Se não há justificativa para o atraso, como confiar em suas palavras? Isso se estende a diversas situações que surgem no ambiente profissional.

Além de tudo isso, ainda temos o prejuízo financeiro que é acarretado com a falta de pontualidade. Contar com X na conta no final do mês, e perceber que a empresa descontou devido a isso, gera mal estar e queda de comprometimento com o trabalho. 

Uma coisa leva a outra, e a pontualidade te ajuda justamente nisso! Seja o profissional que você gostaria que trabalhasse para você. Boa semana de trabalho à todos. Deixe seus comentários abaixo, vamos conversar!